Comércio digital

“O web marketing é o nome dado ao conjunto de instrumentos e ‘modus operandi’ que realça a presença ou a existência de uma empresa, profissional, pessoa, ou mesmo uma ideia em uma área pré definida ou em toda a rede mundial de computadores interligados com a utilização da internet.

As ações de web marketing podem ser classificadas entre ‘ativas’ e ‘receptivas’, sendo que a primeira trata dos projetos e atividades feitas no sentido de despertar a atenção dos usuários (consumidores) para uma comunicação específica, enquanto que as receptivas tratam do ambiente digital para onde o usuário é direcionado. O web marketing também pode ser chamado de marketing na web, marketing na internet, ou ainda, e-marketing (Wikipédia)”.

Web marketing faz parte do marketing digital mas é diferente deste que usa a telefonia celular, tablets, TV digital e outros meios digitais além da internet.

Para entender melhor como funciona todo o sistema comecemos pelo Hotmart, que é uma plataforma que facilita a interação entre compradores e vendedores. Ele possibilita o comércio eletrônico de produtos digitais, fazendo a intermediação entre os produtores de conteúdo e os afiliados.

Portanto, não é necessário ser um produtor para praticar o comércio digital, e um afiliado é aquele que recebe autorização do produtor para vender seu produto, ganhando comissão para isso. A tarefa do produtor é mais trabalhosa, porque além de ter de produzir com muita qualidade, ele é o responsável pela garantia e suporte do produto. Já o afiliado tem menos trabalho que o produtor, mas a sua tarefa também não é tão simples, como a princípio possa parecer.

Seja produtor ou afiliado, é fundamental que haja um meio de comunicação com os potenciais compradores, e para isto a criação de um site ou blog é fundamental para o início dos trabalhos.

Um site WordPress é a melhor pedida. Antes de criar o site é preciso decidir sobre o mercado ou o tipo de produto em que atuar. É mais fácil começar com algo que você tem muito ou algum domínio e a partir daí criar seu site. Por exemplo, se você gosta de fotografia e quer explorar essa atividade na web, não só vendendo produtos relacionados ao assunto, mas também produzindo conteúdo de qualidade e ajuda no seu site, este poderia chamar “Fotografia Online” e o endereço do site www.fotografiaonline.com.br.

Depois de criado o site é preciso produzir para atrair visitantes e captar seus e-mails.

É vital construir uma lista e aqui entra o e-mail marketing. Você oferece ao cliente um bônus em troca do e-mail dele. Uma vez aceita a troca o e-mail vai para sua lista (opt-in). A regra de e-mail marketing é que você dê ao cliente a oportunidade de descadastrar (opt-out). Aqui entram as ferramentas online e o MailChimp é uma das mais elogiadas e usadas. Sem uma lista de e-mail nada feito.

Com um site produzindo conteúdo de qualidade e uma lista de e-mail que cresce sempre, é possível expandir as atividades e elaborar outras metas.

As redes sociais também podem ser usadas como complemento do e-mail marketing.

É preciso salientar que não adianta escolher vários produtos e mandar e-mails pra todo mundo, porque o fundamental é que o nicho de mercado seja muito bem definido, para que seu empreendimento possa ter chance de funcionar.

Caso a primeira tentativa não dê certo, parta pra outra, depois outra se for necessário, até conseguir. Não desanime.

Receba em seu e-mail!

jomafras

Website:

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *